Informática + Tradução = Confusão

Uma discussão que sempre vem a tona no forum do GUJ e em conversas entre colegas de trabalho, é sobre o uso do pattern TO/DTO (Antigo VO, que hoje em dia significa outra coisa). Eis o trecho do livro Core J2EE Patterns:

Transfer Object

Problem
You want to transfer multiple data elements over a tier.

Forces

  • You want clients to access components in other tiers to retrieve and update data.
  • You want to reduce remote requests across the network.
  • You want to avoid network performance degradation coused by chattier applications that have high network traffic.

Solution
Use a Transfer Object to carry multiple data elements across a tier.

O Pattern Transfer Object, foi criado para solucionar os problemas dos Entity Beans (EJB 2.x), quando retornados para outro TIER, geralmente a apresentação, pois geralmente ficam em JVMs separadas. Quando você tenta retornar um Entity Bean, o que é retornado na verdade é um Stub para acesso ao mesmo. Quando são invocados os Getters deste, é aberto uma conexão de rede para cada invocação. Isso é extremamente custoso, gerando um overhead extremamente desnecessário.

Bem, mas nosso papo é tradução certo?

INI-UPDATE: Consegui o livro em português com um colega e estou adicionado a tradução em português também.

Vejamos a tradução para o português:

Transfer Object

Problema
Você deseja transferir diversos elementos de dados sobre uma camada.

Forças

  • Você deseja que os clientes acessem componentes em outras camadas para recuperar e atualizar os dados.
  • Você deseja reduzir as solicitações remotas ao longo da rede.
  • Você deseja evitar a degradação do desempenho da rede causada pelas aplicações muito ruidosas que têm alto tráfego de rede.

Solução
Use um Transfer Object para enviar vários elementos de dados por uma camada.

O leitor atento perceberia que o segundo e terceiro item da seção Forças fala de tráfego de rede e degradação do desempenho da mesma.

FIM-UPDATE

Acontece que, o termo TIER, foi traduzido erradamente no livro em português para camada. O mais correto seria camada física ou . Em Java isso pode ser considerado simplesmente “em uma outra JVM”. Essa tradução gera confusão a todo momento. Se você conversar com 10 desenvolvedores, vai perceber que a maioria acredita que TO/DTO pode/deve ser usado entre LAYERS (i.e. camadas lógicas, usadas apenas para organização do software). Eis um grave problema de tradução, pois uma grande parte não sabe a diferença entre LAYER e TIER, e o uso do Pattern dessa forma se mostrou uma solução sem sentido, conforme diversas discussões no próprio GUJ.

Outro grave problema recorrente é a tradução dos livros de Patterns. Pegue por exemplo o PEAA traduzido e veja o Pattern Active Record. O nome do Pattern foi traduzido para Registro Ativo. Parece piada, considerando que um dos maiores valores de um Pattern é a criação de um vocabulário comum.

Em fim, existem diversos outros exemplos ruins, e só quem perde com isso é o leitor.

Mas nem tudo está perdido. Existem sim traduções bem aceitáveis, porém em quantidade extremamente reduzida e demoram a sair. Você está disposto a esperar? Não acha melhor comprar o livro em inglês mesmo?

Mas se eu não domino o inglês? :(

Sinto informar, mas você vai ficar refém de boas traduções, isso quando tiver tradução. Sem contar os podcasts, como por exemplo os videos disponibilizados no InfoQ. Na verdade, muita coisa não tem tradução e nem vai ter, isso é fato.

Esse cenário serve pra reforçar a idéia de que o inglês na área de TI é fundamental para o profissional se manter atualizado, visto que existem livros que não são traduzidos, e os que são, ou a tradução é horrível, ou demora muito para ser traduzido após o lançamento da versão original.

Mesmo que o cenário mude, ainda assim tem muita coisa que você estará perdendo. Quem sabe um emprego no exterior?

Post Footer automatically generated by Add Post Footer Plugin for wordpress.

Esta entrada foi publicada em design, java, livros, pattern, pragmatic. Adicione o link permanente aos seus favoritos.
  • http://codificando.com/2009/06/07/afinal-o-que-seria-um-profissional-senior/ Afinal, o que seria um profissional sênior? | codificando.com

    [...] já mencionei em outros posts nesse mesmo blog, nossa área de desenvolvimento de software/informática está cheia de [...]

  • http://templariodatecnologia.wordpress.com/2009/06/12/afinal-o-que-seria-um-profissional-senior/ Afinal, o que seria um profissional sênior? « Templário da Tecnologia

    [...] já mencionei em outros posts nesse mesmo blog, nossa área de desenvolvimento de software/informática está cheia de [...]